quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Todo dia é uma montanha russa....

Depois da viagem à Disney e daquele monte de montanhas russas deliciosas que eu e July fomos, começamos a especular quais seriam as características comuns de quem gosta dos tais brinquedos e de quem simplesmente não vê graça ou não se arrisca.
Bom, resumindo a história, acabamos associando nossas próprias vidas com as montanhas russas. Temos momentos de pânico, de ansiedade, de êxtase, de alegria, de loopings e de grandes quedas, grandes vazios.

Ultimamente, cada dia para mim é uma montanha russa, isso tem me irritado demais.
Começo o dia cheia de convicções, que se esvaem com o rodar do relógio.
Lá pelo meio-dia, já arrumei uma nova paixão pra me dedicar. Passo a tarde feliz, me entregando a uma nova ideia, que assim que o sol se põe, também se esconde e perde o sentido.
As noites têm sido sempre confusas. Não sei o que fazer, não sei pra onde ir.
As madrugadas então, são de loucura intensa. Tento colocar os pensamentos em ordem, as idéias no lugar, tento estabelecer prioridades. O sono nem ousa se apresentar diante de tal cenário.
Acho ridículos os questionamentos que tenho perante o futuro. Ridículos para a minha idade, ridículos para a minha situação, ridículos para o meu meio. Mas eles estão ali, me alfinetando a cada passo. Importunando.



Sim, eu gosto dos gritos e acho a excitação essencial, acho que a vida deve ser vivida com paixão.
Mas é pedir demais que, pelo menos por uma semana, a vida seja mais como aquele outro brinquedo, o It´s a small world, com um monte de bonequinhos coloridos cantando em harmonia?

It´s a small world after all, It´s a small world after all, It´s a small world after all...
It´s a small, small world...

3 comentários:

July Malta disse...

Como co-inventora da teoria da montanha russa, concordo com todas as suas palavras.. a excitação é vital, a expectativa é empolgante, mas tem um limite.. Viver a espera do próximo looping cansa, não deixa a gente respirar tranquilamente, colocar a cabeça no lugar e analisar a próxima montanha russa que queremos encarar.
Ficar com os pés balançando pode ser excelente, mas temos que ter o poder de decidir quando queremos fazer isso!!
Que venha a semana It's a small world after all!

Fernanda disse...

É verdade: por mais que odiamos a linearidade, o equilíbrio faz-se necessário... e, o mais difícil, onde encontrá-lo?

Ainda mais qdo estamos numa fase de ansiedade, como vc está nessa TPC (tensão pré-concurso).

Cházinho de cidreira... vai dar tudo certo!!

Love you!!!!!!

Bjs

Marcelo Mello disse...

Oi Ká,
Pois eu acho que a vida na montanha russa é mais viva...rs. Por outro lado, concordo que devemos ter tempos de paz.
Uma dica é: Descubra o que realmente quer e por si só, esse projeto novo vai ter seus altos e baixos, o que vai estimular algo que temos que ter: A capacidade do improviso.
Adorei a teoria e já escrevi milhares de vezes sobre isso, só acho que... Small World é pequeno demais pra quem tem tanto conteúdo como as teóricas Ka e July...rs
Bjs
MM