sábado, 25 de outubro de 2008

Livros, livros e mais livros...

Ler é uma das minhas atividades prediletas. Adoro como consigo ir pra outros mundos, outros realidades e me perder nas vidas, aventuras e dramas alheios.

Sou verdadeiramente compulsiva por livros.
Hoje fomos à Livraria Cultura do Market Place. É uma das minhas preferidas, assim como a Cultura do Villa Lobos e a FNAC de Pinheiros. A Saraiva reformada do Ibira também ficou show, só que ainda não aprendi a me virar direito lá.

Saí de lá sem nenhuma sacolinha nas mãos (milagre!), mas já guardei na memória os seguintes livros bem compráveis:

- O livro secreto do banheiro feminino (bem indicado por uma amiga),
- Eu pego esse homem (desses romancinhos leves de capa pink),
- Guia Ilustrado de Filosofia (sim, eu insisto em aprender Filosofia),
- O Livro das Perguntas (para uma fase meio Neruda),
- A Sombra do Vento (que só resisti até agora porque é ambientado em Barcelona)
- Isso é amor ou obsessão? (auto-ajuda que vi na Saraiva e não comprei por muito muito pouco)

Na verdade, eu não deveria estar pensando em livros que não fossem para concursos.

Mas, acima disso, eu não deveria pensar em livros enquanto não diminuísse essa fila imensa que se formou na minha cabeceira!

Em andamento, tenho aqui:
- O Mago (quase no final)
- Travessuras da menina má (quase no começo)
- A Cabala da Comida (praticamente na introdução)
- O Apanhador no Campo de Centeio (já empacado há um bom tempo)
- O Despertar de uma Nova Consciência (a Oprah indica, eu compro)
- O Diário de Anne Frank (adquirido num impulso turístico mais típico impossível em Amsterdam)

- E, finalmente, o escolhido para hoje: O Poder do Subconsciente, que já comecei a ler uma vez e vou começar de novo hoje (com caneta marca-texto na mão e tudo).

Bom, todo mundo tá cansado de saber que eu adoro uma auto-ajuda básica (quem ainda não me ouviu falar sobre o Greg que atire a primeira pedra).

Esse, do Joseph Murphy é bem mais sério, porque trata de um assunto que me interessa demais: o poder das idéias que gravamos no nosso subconsciente.

Eu, com essa minha auto-estima invejável (ironia 100%), devo ter gravado aqui na minha cuca umas idéias muito equivocadas... Algumas eu percebo com muita clareza. Algumas outras, só em sessões profundas de autoterapia.

O que eu busco mesmo é identificar onde eu ando errando e correr com as soluções.

Acreditando ou não no Murphy, no Segredo, no Tolle ou em qualquer outra linha do Novo Pensamento, o que importa é ter uma atitude POSITIVA em relação à vida, à sua individualidade e ao ambiente que nos cerca, pois se tem uma teoria da qual ninguém duvida é:

o que a gente joga pro mundo, o mundo joga de volta pra gente!

Boas noites e bons pensamentos. Sempre.

2 comentários:

Fernanda disse...

A diferença nos temas chega a ser fantástica!! Mas é isso, mesmo... tem que alternar entre um que te deixe zen e outro que te coloque pra andar, que te faça agir... afinal, a vida é assim: às vezes precisamos amar outras gritar, rebelar.

beijocas

July Malta disse...

Ai amiga.. a única coisa que posso dizer é que compartilho seu vício, a lista de livros não lidos aqui é gigantesca, para citar alguns: Neve, Breaking Dawn, Deal Breaker, Shopaholic and Baby, Into the Wild, O sangue do mundo, Anybody out there?, O Labirinto, Mentiras no Divã.. OPS, disse que eram só alguns. Bom, vc sabe, minha biblioteca está a disposição!!!
Bjocas